Agência ‘sequestra’ celular antes de reuniões para evitar distração

Medida vale para funcionários e clientes de empresa de São Paulo

Folha de São Paulo – 17.agosto.2014

A agência de publicidade Lew’LaraTBWA, de São Paulo, instalou um “totem anticelular” ao lado das salas de reunião para evitar que as pessoas usem o aparelho durante o encontro -o “convite” é feito não só aos funcionários, mas também aos clientes da agência.

Eles podem depositar seus telefones no recipiente e colocá-los para carregar. Também podem deixá-los na recepção, onde a recepcionista atende as chamadas e anota os recados. Caso haja algo urgente, o dono é chamado.

“O cliente ou funcionário recebe mais atenção e a reunião se torna mais objetiva e mais curta. Todo mundo quer ir embora logo para ver o celular”, afirma Marcio Oliveira, 41, presidente da agência.

Ele afirma que ninguém é obrigado a usar o totem e a dispensar o aparelho, mas que “a adesão é de 100%”.

Para Maria Candida Baumer de Azevedo, sócia da consultoria organizacional People & Results, evitar o uso de celular nas reuniões faz os profissionais perderem menos tempo explicando detalhes a quem não está totalmente atento à conversa.

“As pessoas acham que prestar atenção ao cliente enquanto manda e-mails e vê as redes sociais é ser multifuncional. Mas a verdade é que você acaba não se concentrando em nada.”

Na fabricante Honda, a preocupação é não deixar as reuniões se estenderem mais que o necessário. A empresa tem uma política chamada “limite 15”: máximo de 15 páginas de apresentação e relatório e 15 minutos para tomada de decisão.

“É preciso que o objetivo da reunião seja claro, assim como o material a ser discutido. As pessoas aprendem a ser mais objetivas”, explica Pedro Rezende, gerente de RH da companhia.

Ele também afirma que a empresa adota outras medidas para tornar os encontros mais produtivos, como evitar celulares ou a presença de pessoas que não sejam essenciais para o evento.

Colaborou BÁRBARA LIBÓRIO, de São Paulo

Share this post